banner11 banner22 banner33 banner44
Ghelman Dentistas

HALITOSE


Mau hálito - De onde vem esse odor desagradável.

A halitose, que é conhecida popularmente por mau hálito, pode ser causada por inúmeros fatores e proveniente de várias partes do organismo. O mais importante é se identificar o problema e procurar ajuda profissional.

O estresse contribui em muito no desenvolvimento da halitose. A pessoa estressada descarrega no sangue hormônios que alteram o trabalho das glândulas salivares causando diminuição na quantidade de saliva. A saliva é um agente de suma importância no combate ao mau hálito, pois além de remover placa bacteriana ela evita a proliferação de bactérias.

A língua, por sua própria forma anatômica, tende a acumular uma grande quantidade de placa bacteriana chamada de saburra lingual. As bactérias presentes na placa produzem componentes voláteis de enxofre, sendo eles os responsáveis pelo odor desagradável.

Outro fator que diminui a produção de saliva e com isso aumenta a placa lingual é o uso de alguns tipos de medicamentos, como antidepressivos, antitérmicos e outros. Freqüentemente encontramos pessoas com mau hálito pela utilização constante desses medicamentos.

A halitose pode também indicar problemas severos. Esse é o caso de pacientes diabéticos descontrolados onde o mau hálito pode indicar um pré-coma diabético.

A maioria dos casos de halitose tem sua origem no meio bucal, sendo a saburra lingual o principal fator causal. Além da placa sobre a língua, o mau hálito pode vir de: problemas periodontais (gengivais), alimentos em decomposição na boca, próteses sem uma correta higiene, além de cáries avançadas que causam necrose (morte) da polpa dental, abscessos e outros.

Pessoas que respiram pela boca fazem com que a mucosa oral fique ressecada, gerando descamação de algumas células que entram em decomposição. O mesmo ocorre com indivíduos que não tenham uma oclusão dos dentes correta, sendo, nestes dois casos, pessoas propícias ao mau hálito. Infecções na garganta, rinites e sinusites podem também levar à halitose.

O mau hálito pode ser originário do pulmão, estômago e intestino. Doenças sistêmicas como tuberculose, insuficiência renal, cirrose, insuficiência hepática, entre outras, também podem provocar o mau hálito.

O mau hálito muitas vezes não é percebido pela próprio portador, daí a importância de alertá-lo sobre o problema para que a pessoa procure tratamento. O dentista é o profissional mais capacitado para diagnosticar e tratar a halitose, pois em 95% dos casos a origem é na boca.

Geralmente o tratamento para combater o mau hálito consta de uma melhora na higiene oral, tanto na escovação quanto no uso do fio dental; mudança nos hábitos alimentares, tratamento periodontal, oclusal e contra cáries e quando necessário uso de mecanismos para estimular a produção salivar. Além disso, o dentista irá interagir com um médico caso a halitose não tenha sua origem na cavidade oral.


P: Sou respiradora bucal e quando faço um esforço maior me canso facilmente. O problema é que sinto a boca seca a maior parte do dia e meu noivo vive dizendo que tenho mau hálito. Qual a solução para meu caso? Ingrid ( Rio de Janeiro )

R: O indivíduo respirador bucal faz a inspiração de oxigênio pela boca ao invés do nariz. A respiração bucal pode ser temporária, como em pessoas com congestionamentos nasais, gripes ou resfriados ou constante, como ocorre em certos casos de desvios de septo nasal e problemas com a adenóide. É evidente que respiradores bucais se cansam mais facilmente do que aqueles que não o fazem, pois o oxigênio entra no organismo sem haver filtração do mesmo, que é realizada por películos presentes no interior do nariz. Sem essa prévia filtração, o oxigênio permanece com algumas impurezas e sua capacidade de nutrir as células do organismo é diminuída.

A respiração bucal leva a um ressecamento da mucosa bucal, e com isso há uma maior proliferação de bactérias e aumento da descamação de células gengivais. Apesar do fluxo salivar permanecer normal, o respirador bucal geralmente se queixa de secura na boca e freqüentemente desenvolve cáries e doença periodontal, devido ao aumento do número de bactérias, o que provoca o mau hálito. Outro fator que faz uma pessoa a ser respiradora bucal é o mal posicionamento dos dentes na arcada dentária. Pacientes que tenham, por exemplo, mordida aberta, ou seja, não há contato dos dentes superiores com os dentes inferiores em determinada região da arcada, invariavelmente respiram pela boca.

Os respiradores bucais devem atentar para os cuidados de higiene oral, pois têm uma maior propensão para desenvolver enfermidades bucais, além do uso de estimulantes salivares e umidificadores artificiais para a mucosa oral. É necessário também pesquisar o porquê de se respirar pela boca, consultando um dentista e um otorrino para se diagnosticar de onde vem o problema.



ENDEREÇO


Edifício Ipanema 2000
Rua Visconde de Pirajá, 547 / 621
Ipanema - Rio de Janeiro
E-mail: michel@ghelmandentistas.com.br
Telefones: (21) 2294-3355 / (21) 2512-2216 / (21) 2512-1109

CRÉDITOS


Copyright© 2014 Ghelman Dentistas
Todos os direitos reservados

Criação: Owns Digital